sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Palhaço Triste

"Passei a semana inteira com essa vontade de chorar presa na garganta.
Isso sem haver explicação, apenas essa vontade de chorar.
Cheguei á me questionar, á pensar que estava enlouquecendo; que era egoísta.
Pq como alguém com tantas coisas boas pra contar pode estar assim: triste, muito triste por dentro.
E aí fiquei mais triste por não saber o quê da minha tristeza...

Por isso e por tantas outras coisas talvez, não chorei. Amarguei isso dentro de mim, pra tentar esquecer.
Sem pensar no quão cruel eu estava sendo comigo mesma, me impedindo de fazer algo tão simples, mas tão cheio de significado: chorar!
No fundo não o fiz, dentre tantas razões, por medo. Medo de ser mais incompreendida do que estou me fazendo ser por mim mesma.
E mais medo por sentir-me ingrata por tantas bençãos e presentes que tenho recebido ao longo da vida.
Ah, mas essa vida, ela continua sendo cruel, mesmo sendo em algumas horas, bem doce!
Mas isso não á isenta de todas as minhas tristezas, todas as minhas angústias, pelas horas de sono que tenho perdido e pelos primeiros cabelos brancos que tenho encontrado na minha cabeça por tantos problemas.
É essa mesma vida que agora me corta os pulsos e me faz sangrar lentamente; e mesmo assim, me nega o direito de chorar.
Sim, a obrigação do palhaço é sempre garantir o espetáculo. Mas quem me garante que ele não chora?

Sempre procurei razão pra tudo, explicação e sentido para cada momento, cada sentimento, e isso me impede de simplesmente chorar por chorar, amar por amar, viver por viver...
E mesmo que chorasse agora, teria que ser sozinha, em silêncio; pq mesmo entre tantas pessoas, acho que não há ninguém para me entender nesse momento.
Na verdade acho que nunca terá, pq no espetáculo da minha vida, eu "palhaço triste" tenho apenas a obrigação de garantir o espetáculo, mesmo que isso custe sufocar meus sentimentos e me impeça simplesmente de chorar..."

(Angela C. L. Honório)

16 comentários:

  1. Verdadeiramente' estas simples palavras tocaram em mim|
    sentindo-me como 'o palhaco'; pensava até que fosse só... tenho lá minhas razões para lutar porem o ardor da dor me faz sangrar pelos pulsos de culpa por atitudes das quais eu poderia nao ter tomado; o amargor da acusação direciona o meu focal ao chão e é dificil controlar ...
    obrigado por ser tao clara e perceber tao perfeitamente que expressar-se é tambem ajudar ! 'seja feliz

    ResponderExcluir
  2. texto surpreendente e fascinate! me identifiquei com a situação apresentada, inumeras vezes me encontro em situaçõe semelhantes, com o choro preso na garganta, sem saber o pq de tudo....sempr fui considerada pelos amigos como uma pessoa alegre e bem humorada, uma palhaça, mas as vezes o espetáculo da alegria que contagia pede pra parar e descarregar as mágoas da vida, é nesse momentto que preciso ter consciância que o espetáculo da vida não pára!

    ResponderExcluir
  3. Eis aqui mais um "palhaço",belas palavras tão simples que resume varias historias,varios cotidianos e assim se vai no entrlaçar de varias vidas ...!

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito me enquadro nele
    Vlw

    ResponderExcluir
  5. Entrei sem querer aqui em seu Blog e tinha acabado de postar a minha tristeza e lendo esse texto me encontrei

    ResponderExcluir
  6. Sabe, tem horas que também me vejo triste sem saber bem o porquê... A gente tem momentos bons, mas quando a tristeza bate é como se fossem apagados. =\

    Bom texto!

    ResponderExcluir
  7. Peeeeeeeeeeerfeito, até fiz uma comunidade em homenageem USHAUSAHUA' ameei !!

    ResponderExcluir
  8. Muito Bom , realmente me identifiquei muito !!

    ResponderExcluir
  9. nossa me identifiquei com suas palavras estou passando por essa faze

    ResponderExcluir
  10. Parabéns! Muito bonito o texto.
    As vezes sinto isso também.

    ResponderExcluir
  11. MUITO LINDO... ACHO QUE NESTA VIDA SOMOS UM POUCO PALHAÇO TBÉM... ME INDENTIFIQUEI MUITO NESTA LINDA TRISTE E REAL HISTÓRIA... ME COMOVEU... PARABÉNS!

    ResponderExcluir